Café e Saúde

Estamos no mês Internacional do Café e vamos falar um pouco sobre a relação da nossa bebida favorita com a saúde. 💗

O café é a segunda bebida mais consumida no País, perdendo apenas para a água, e a previsão é de que este consumo cresça ainda mais, não apenas aqui no Brasil como no mundo todo.
Que ele tem grande importância em aspectos econômicos e culturais nós já sabemos, mas o que muitos ainda não sabem é que a bebida também oferece inúmeros benefícios à saúde. 

Quando bebemos café, ingerimos uma série de substâncias. Dentre elas se destaca a cafeína, famosa pela ação estimulante. Porém o que aparece em maior quantidade no grão são os ácidos clorogênicos, compostos antioxidantes. A xícara ainda concentra vitamina B3 e minerais como potássio, manganês e ferro.
Deixa a gente explicar melhor: por causa dessa junção de substâncias, tomar uma bela xícara de café ( ou várias rsrs) representa, baseado em estudos, proteção frente a diversos tipos de câncer. Uma das explicações para isso tem a ver com o fato de ele proteger as células.

Se você precisa de mais motivos para continuar tomando diariamente seu adorado cafezinho sem culpa, confira aqui os demais benefícios que ele proporciona para a nossa saúde:

Fortalece o coração
De acordo com uma matéria da BBC, ingerir diariamente uma quantidade moderada de café (de 3 a 4 xícaras) pode beneficiar consideravelmente quem o consome. Um exemplo disso é que foi constatado que o risco de se contrair doenças cardíacas ou sofrer um derrame são, respectivamente, 19% e 30% menores em consumidores regulares de café em relação aos que não consomem a bebida.

Diminui o risco de depressão
De acordo com os cientistas da Harvard School of Public Health, este efeito de antidepressivo natural se deve ao estímulo que a cafeína causa no sistema nervoso central, capaz de aumentar a produção dos neurotransmissores cerebrais como noradrenalina, dopamina e serotonina (os hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar.)

Alivia os sintomas do Mal de Parkinson
Um estudo realizado por neurologistas da Universidade McGill, em Montreal, no Canadá mostra pela primeira vez como a ingestão de cafeína pode trazer benefícios reais para quem apresenta sintomas da doença.
O pesquisador Ronald Postuma acompanhou 61 pessoas com a doença e a dividiu em dois grupos. Um deles, recebeu comprimidos de cafeína durante seis semanas (o equivalente a três xícaras de café por dia) o outro, recebeu um placebo pelo mesmo período.
Apenas o grupo com cafeína mostrou ter avanço significativo nos testes de problemas motores, tendo diminuição na intensidade dos tremores e aumento da mobilidade geral. Supostamente a cafeína, conhecida por “acelerar”, pioraria os tremores, certo? Errado! Na dose certa, a cafeína parece contribuir para o funcionamento da dopamina (e é a falta desse neurotransmissor que favorece o Mal de Parkinson ).

Diante de todos esses argumentos, acho que não precisamos de mais dúvidas.
Que tal dar uma passadinha no Café Cultura para tomar aquele café PODEROSO 😋

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *